AutoShow

Novo Citroën C3 terá motor 1.0 turbo da Fiat na estreia: veja

A Citroën já comunicou que lançará o novo C3 no mercado brasileiro no início do próximo ano

SUV compacto deve ser equipado com motor 1.0 litro turbo de 130 cv do Fiat Pulse. Por Felipe Salomão

Novo Citroën C3 também deve ser equipado com o motor de 1.6 litro, que entrega 115/118 cv

A Citroën já comunicou que lançará o novo C3 no mercado brasileiro no início do próximo ano. A novidade deve ser equipada com o mesmo motor de 1.0 litro turbo de 130 cv do seu rival Fiat Pulse e a plataforma CMP do Peugeot 208. Veja o que já sabemos sobre o modelo.

O novo Citroën C3, que será produzido em Porto Real, no Rio de Janeiro, será o grande lançamento da marca francesa no Brasil em 2022, uma vez que o modelo faz parte da nova estratégia da empresa de lançar três carros até 2024. Além disso, o crossover compacto deve atrair novos públicos para montadora já que tem um design arrojado e estilo próprio da marca francesa estreando tecnologias já conhecidas. Essa “mistura”, porém, será inédita ao usar a base CMP originária da Peugeot e o motor turbinado desenvolvido pela Fiat.

Traseira tem faróis arredondados

Em relação ao desenho da novidade, a dianteira terá faróis de iluminação diurna dispostos em formato de Y, que estão interligados com uma barra cromada, que também forma o logotipo da empresa. Já os faróis convencionais são redondos. Ambos são de LED. Por sua vez, a grade tem um acabamento discreto e uma barra preta sobre ela. Os faróis de neblina, que são redondos, contam com uma moldura em volta deles, que confere esportividade. Tanto o para-choque quanto o capô têm vincos, que dão a sensação de robustez e elegância. Na a traseira os faróis também são arredondados e a tampa do porta-malas tem um desenho retilíneo.

Interior contará com central multimídia de 10 polegadas

O interior também tem traços arrojados e vem equipado com uma grande central multimídia de 10 polegadas com conexão com Android Auto e Apple CarPlay. Além disso, o painel de instrumentos é 100% digital. O SUV será bicolor, ou seja, o teto poderá ser pintado nos tons preto ou branco.

Sob o capô, o novo Citroën C3 deve ser equipado com o motor de 1.6 litro, que entrega 115/118 cv a 5.750 rpm e com torque de 15,5 kgfm a 4.000 rpm. Também será oferecido com o mesmo propulsor do Fiat Pulse, ou seja, 1.0 litro turbo, que rende 130 cv e aproximados 20 kgfm de torque. A transmissão deve ter opção automática CVT e manual.

Painel de instrumentos será 100% digital

O crossover chegará para concorrer diretamente com modelos de entrada como Volkswagen Nivus, Jeep Renegade, Hyundai Creta, Caoa Chery Tiggo 3X, Renault Duster, Peugeot 2008, Nissan Kicks e Chevrolet Tracker.

História do C3 no Brasil
Quando chegou ao Brasil nos anos 2000 o C3 era um hatchback produzido em Porto Real, no Rio de Janeiro com o mesmo design francês que fez sucesso diante de modelos que eram oferecidos no país. O modelo contava com um visual arredondado, que tinha uma pequena grade dianteira e faróis pontiagudos e itens como direção elétrica que eram inéditos. Já a traseira contava com lanternas dispostas na vertical compondo um estilo de monovolume ou hatch ampliado. Por dentro, era bem simples, mas já tinha uma parte do painel de instrumentos digital, o que era avançado para época, além de ter rádio, computador de bordo e desenho arredondado.

Modelo deve ter transmissão automática CVT

Mesmo com a chegada da segunda geração do carro no começo da década passada, o C3 manteve o visual arrojado. O modelo contava com uma pequena grade frontal, em que tinha o formato da logomarca da empresa, além de ter faróis angulares, faróis diurnos afilados e faróis de neblina redondos. A traseira também tem traços redondos e os faróis estão dispostos na horizontal e sobrepõem a tampa do porta-malas. Já o interior tem painel de instrumentos analógico divido em três partes: conta-giros, velocímetro e computador de bordo. O volante também é totalmente diferente e tem um desenho mais arrojado que a versão anterior.

Transmissão também poderá ser manual de cinco velocidades

Ao longo destes anos, a Citroën equipou o C3 com o motor de 1.6 litros de 16V, que entrega 110 cv com torque de 15 kgfm. Também vendeu o hatchback com propulsor de 1.4 litro, que rende 82 cv com etanol e 80 cv com gasolina com torque de 12,6 kgfm para os dois combustíveis. O modelo também contou com o trem de força de 1.5 litro de 93 cv e 14,2 kgfm com etanol e 89 cv e 13,5 kgfm com gasolina. Ainda teve o conjunto mecânico Puretech de 1.2 litro, que desempenha 90 cv e 13 kgfm com etanol e 84 cv e 12,2 kgfm com gasolina. Por fim, comercializou o modelo com motor de 1.6 VTI de 122 cv com 16,4 kgfm com etanol e 115 cv com 15,5 kgfm com gasolina. A transmissão podia ser manual de cinco velocidades ou automática com modo manual de seis marchas (teve ainda o automático de quatro marchas compartilhado com outros produtos do extinto grupo PSA).

O Citroën C3, que saiu de linha no começo deste ano, teve em outubro 7.068 unidades transacionadas, o que o deixou na vigésima primeira posição do ranking dos usados mais vendidos no país. Resta saber agora, se a nova geração do C3, que se tornará um SUV compacto, fará tanto sucesso quanto as duas últimas versões.

Veja no AutoShow mais de 40.000 classificados de veículos e visite os feirões presenciais realizados aos domingos. Acesse também as redes sociais Instagram, Facebook e YouTube e fique ligado na programação dos eventos em 2021.