AutoShow

Tiguan vai voltar ao Brasil com uma geração de atraso em relação à Europa

Crossover médio terá motor a combustão e não híbrido e vai se distanciar da novidade mostrada em Munique. Por Marcos Camargo Jr

Tiguan Mexicano: facelift que veio quando ele saiu de linha no Brasil (VW México Divulgação)

Já não temos Tiguan no Brasil desde 2021. E foi justamente quando ela saiu de linha por aqui que reestreou no México com novo visual ainda que na mesma geração. E nos úlrtimos dias, no Salão de Munique a Volkswagen fez uma pré-estreia importante: a nova geração do crossover que sempre foi sucesso de vendas na Europa terá sua primeira versão híbrida.

nova geração do Tiguan europeu: a combustão ou híbrido sob plataforma MQB Evo (VW Divulgação)

Por lá os motores serão 1.5 turbo serão combinados a um sistema elétrico mas essa novidade deverá ficar restrita à Europa. Por aqui teremos apenas o Tiguan a combustão, produzido e vendido no México com um facelift e maior lista de equipamentos.

painel do novo Tiguan tem elementos de “ID” (VW Divulgação)

No Salão de Munique a VW mostrou novas soluções para a Tiguan. Por lá os motores serão 1.5 turbo serão combinados a um sistema elétrico mas essa novidade deverá ficar restrita à Europa. Por aqui teremos apenas o Tiguan a combustão, produzido e vendido no México com um facelift e maior lista de equipamentos.

Qual será o novo Tiguan que teremos no Brasil?

visual final na projeção do site MQB Coding DE (Divulgação MQBCDE)

Diferente do Tiguan alemão, o mexicano usa mesma plataforma MQB com um facelift que tem 2 anos. No México ele é vendido como Tiguan AllSpace de 7 lugares e a versão R-Line esportiva. Atualmente o motor do Tiguan é um 2.0 de 180cv e 32kgfm de torque. É bem longe dos 230cv e 37kgfm de torque dos modelos R-Line que saíram de linha há algum tempo por aqui mas que já está adequado às novas normas de emissões do Proconve L7. Na Europa a versão equivalente tem nada menos que 315cv com motor 2.0.

Tiguan R-Line Mexicano: motor 2.0 (VW Divulgação)

Com 4,73m de comprimento, 2,79m de entre-eixos, 1,84m de largura e 1,66m de altura, o Tiguan é um SUV médio que voltará bem equipado ao país.

Conta com tela digital de 10,2 polegadas, ar condicionado digital de três zonas, bancos em couro com ajuste elétrico, teto solar panorâmico e ajuste de modos de condução lembrando que ele tem tração integral e o câmbio é de dupla embreagem e sete velocidades.

Na Europa outra geração

Assim, no IAA 2023 o veículo que foi mostrado ao menos neste momento não deve vir ao Brasil tão cedo. O novo Tiguan é feito sobre a nova plataforma MQB Evo com motores a combustão partindo do 1.5 turbo que ainda não temos no Brasil, 2.0 turbo e motor 1.5 associado a conjuntos elétricos de duas versões sempre com sistema de auxílio à condução.

Tiguan na Europa: início das vendas até março de 2024 (VW Divulgação)

Vale lembrar que hoje um SUV médio bem equipado como deve ser o Tiguan já custa por volta R$ 240 mil enquanto o Taos argentino que não deslanchou nas vendas custa atualmente R$ 212 mil na versão Highline 1.4. Para diferenciar e se distanciar do Taos, o Tiguan ocupará a posição de modelo médio e mais equipado.