AutoShow

Novo Sandero 1.6 CVT vale a compra?

Avaliamos a nova versão topo de linha do hatch que estreia o câmbio automático X-Tronic. Por Marcos Camargo Jr

Já se vão 12 anos desde que o Logan, e logo depois o Sandero, estrearam no país e pela primeira vez a Renault mexeu prá valer na dupla que sempre foi um sucesso de vendas por aqui. Apesar de manter a plataforma e a mesma estrutura, a dupla recebeu a mais importante reestilização desde o lançamento. Com a opção do novo câmbio automático X-tronic nas versões 1.6, a Renault espera avançar mais com o Sandero e o Logan. Mas no primeiro mês cheio de vendas, só o hatch emplacou 5.347 unidades, quase o dobro das 2.954 emplacadas em julho.

O Auto Show avaliou o Sandero 1.6 Intense CVT, versão mais cara do hatchback equipada com motor SCe de até 118cv (etanol), transmissão automática e todos os opcionais como multimídia Media Evolution, bancos em couro e câmera de ré com sensores traseiros.

O desempenho do carro é satisfatório, mas a Renault calibrou o Sandero 1.6 para ter boas arrancadas embora às vezes falte fôlego nas retomadas mesmo explorando as seis relações existentes no câmbio CVT. Sem mais alterações além do controle de estabilidade e tração (nesta versão), ele ficou mais seguro nas curvas e pisos molhados, o que é uma boa vantagem. A direção ainda é eletro hidráulica, um pouco mais pesada em manobras, mas o grande trunfo foi a adoção do câmbio sem embreagem, muito bem escalonado e confortável no uso em estrada e principalmente na cidade.

Em termos de consumo, o Sandero registrou 5,5Km por litro na cidade, em trânsito intenso, média de 5,8km em trechos urbanos e 8,2km na estrada, usando etanol.

A bordo da novidade, a Renault melhorou o acabamento do Sandero com novo painel, volante e console. O revestimento do teto é preto, os bancos tem espuma mais densa e tecido agradável ao toque, o mesmo usado no Captur por exemplo. A multimídia Media Evolution agora se integra ao Apple Car Play e Android Auto, e a tela capacitiva está mais rápida ao toque dos dedos. O espaço interno continua bem generoso e no banco traseiro o cinco de três pontos para o terceiro passageiro é outra vantagem. A Renault reforçou a carroceria do carro, introduziu sistema Isofix de série, mudou os encostos de cabeça e acrescentou mais dois airbags, tudo em prol da segurança.

O Sandero 1.6 Intense CVT custa R$ 65,9 mil, mesmo nível de seus concorrentes com transmissão desse tipo como o Ford Ka 1.5 Freestyle, Fiat Argo Precision 1.8 AT, Toyota Yaris XL CVT e Volkswagen Polo 1.6 MSi. Também estão para chegar os novos Onix e HB20 que manterão opções automáticas na linha.

Gosta de compactos, especialmente o Sandero? Aqui tem milhares de ofertas do carro mais vendido da Renault no país, bem como 40 mil ofertas do Auto Show. Confira também as ofertas dos feirões presenciais realizados todo domingo no Anhembi e Shopping ABC.