AutoShow

Novo “Carro celular” da Xiaomi roda até 800km sem recarga

SU7 é sedã que vem para concorrer com BYD Seal e Tesla Model S no primeiro semestre de 2024

Xiaomi SU7 apresentado na versão final na China (Xiaomi Divulgação)

A Xiaomi anunciou há três anos que iria produzir seus próprios carros elétricos. E nesta época em que geralmente o ocidente reduz a atividade por conta das festas de fim de ano, os chineses já apresentaram muitas novidades e uma delas é o sedã SU7.

interior do SU7 com volante abaulado e comandos digitais (Xiaomi Divulgação)

Esse carro é fruto de um investimento da ordem de US$ 1,4 bilhão, cerca de R$ 6,8 bilhões anunciados pelo CEO Lei Jun. E as pretensões com esse novo sedã são bem agressivas como tudo que a Xiaomi produz no âmbito da tecnologia.

Sedã tem porte médio-grande (Xiaomi Divulgação)

O SU7 tem porte de Porsche Taycan e Tesla Model S. Tem 4,99m de comprimento, 1,93m de largura, 1,45m de altura e 3,00m de entre-eixos com porta malas de 517 litros. O coeficiente aerodinâmico é de 0,195 Cd.

visão do painel do SU7 (Xiaomi Divulgação)

O Xiaomi SU7 terá duas versões: a de entrada com motor de 300cv e 40kgfm de torque com bateria de 73kwh com autonomia de 668km e a versão “Max” com dois motores que somam 875cv e 101kwh de baterias capazes de rodar até 800km e recarga ultrarrápida graças a arquitetura de alta voltagem (875v). Com essa tecnologia o carro recebe energia para rodar 500km em apenas 15 minutos.

perfil lateral do sedã SU7 que chega no primeiro semestre de 2024 (Xiaomi Divulgação)

Os números do SU7 Max impressionam no quesito desempenho: 0-100km/h em apenas 2,7 segundos (0-200 km/h em 10,6 segundos) e uma velocidade máxima que chega a 265 km/h.

Xiaomi SU7 anunciado no mercado chinês (Xiaomi Divulgação)

Como esperado, o SU7 da Xiaomi tem sistema de alta resolução de telas (16,1” na posição central e 7,1” no cluster à frente do motorista além de dois tablets – Xiaomi, é claro) e sistema operacional HyperOS. Esse sistema integra os 12 radares Lidar, o sistema de condução automática “Xiaomi Adas” e 11 câmeras de resolução Full HD.

tablets apoiados sobre os bancos dianteiros (Xiaomi Divulgação)

A produção do carro começa no primeiro semestre de 2024 quando os preços serão revelados. A versão Max deve custar US$ 42 mil, cerca de R$ 205 mil em valores convertidos. A princípio a marca Xiaomi não deve oferecer os carros elétricos no Brasil.