AutoShow

Jeep Commander Longitude 2024: preço, itens de série, ficha técnica e teste completo

Com motor 1.3, ele custa mais que o Tiggo 8 e menos que Pajero Sport, Trailblazer e SW4. Por Marcos Camargo Jr

Commander Longitude tem 7 lugares (Marcos Camargo Jr – Autoshow)

O Jeep Commander assume um papel importante no portfólio da Stellantis. Acima do Compass e Renegade, ele tem 7 lugares e mesmo não tendo estrutura de chassi concorre com grandes crossovers como Pajero Sport, Trailblazer e SW4 da Toyota. Entre modelos médios concorre com o Tiggo 8 mesmo não sendo híbrido e mesmo assuim ele tem quase 30% de participação no segmento C, sendo o mais vendido que todos os concorrentes.

interior é mais simples sem acabamento “Satin Chrome” (Marcos Camargo Jr – Autoshow)


Antes disponível só nas versões Limited e Overland, o Commander Longitude 2024 perde alguns equipamentos mas mantém seus atributos de espaço modulável para sete pessoas, porta-malas e espaço interno generoso. Mas algumas economias foram feitas para ele custar R$ 229,9 mil, cerca de R$ 16 mil a menos que o modelo Limited superior.

Visualmente há poucas mudanças no Commander Longitude (Marcos Camargo Jr – Autoshow)

Visualmente o Commander 2024 é o mesmo. Com teto biton na cor preta, ele pode fazer um bom “par” na carroceria e traz rodas aro 18 sem acabamento diamantado das outras versões.
Mas é por dentro que se notará a economia a bordo. Ele perde itens de segurança ativa deixando de oferecer piloto automático adaptativo, assistente de mudança de faixa, detecção de placas, alerta e frenagem autônoma. Ele tem até alerta de ponto cego visual e sonoro mas perde o airbag para o joelho do motorista somando seis airbags e não sete das outras versões.

Farol LED, multimídia de 10 polegadas e bancos em couro são de série (Marcos Camargo Jr – Autoshow)

Mas a lista segue generosa com farois em LED, multimídia de 10 polegadas com sistema UConnect que traz espelhamento sem fio com Apple CarPlay e Android Auto e navegação por GPS nativo mas nesta versão ele não tem o sistema Adventure Inteligence.

Espaço interno traseiro do Commander Longitude (Marcos Camargo Jr – Autoshow)

O padrão de montagem segue o mesmo com bancos em couro, ajuste elétrico só para o motorisa mas os mais atentos vão notar no revestimento interno em cinza (mais barato e menos refinado que o preto), na falta do acabamento em “satin chrome” no painel, na ausência do teto solar e na falta do carregador de celular por indução.


Avaliação do Commander Longitude

O Commander segue com bom equilíbrio de direção e boa lista de itens de série. Só ao volante é que o motorista vai notar a baixa interferência dos itens de segurança ativa como controle de cruzeiro adaptativo.

multimídia de 10 polegadas mas sem Adventure Intellligence ou Alexa (Marcos Camargo Jr – Autoshow)

O motor 1.3 GSE turboflex de quatro cilindros tem 180/185cv e 27kgfm de torque combinado com câmbio automático de seis velocidades cumpre bem seu papel e mesmo em um modelo menos equipado traz como diferencial os sete lugares de acesso simples com 233 litros de porta-malas, mais de 600 litros com cinco lugares e 1.761 litros com os bancos traseiros rebaixados.

porta-malas generoso mesmo em um SUV médio (Marcos Camargo Jr – Autoshow)

Só não é híbrido como seu concorrente Tiggo 8 que custa R$ 201 mil, mas vende muito mais que qualquer outros concorrente desse porte. A Jeep de fato se estabeleceu com o maior portfólio de crosssovers do mercado e acaba de ampliar a faixa de atuação com a versão Longitude de R$ 229,9 mil.