AutoShow

Jac Motors lança marca de ônibus elétricos de olho em projeto de substituição da frota

Marca do grupo SHC quer entrar no segmento de ônibus elétricos a bateria com quatro modelos. Por Marcos Camargo Jr

Versão curta de seis metros para o transporte de curtas distâncias (Vitor Lima)

O Grupo SHC tem mais de 30 anos de atividades no setor automotivo. Com a Jac Motors desde 2011, o grupo do empresário Sérgio Habib anunciou esta semana em São Paulo a entrada da marca ANKAI, da própria Jac, no segmento de ônibus urbanos. 

Versão 12, mais longa, para o transporte em vias expressas e avenidas (ANKAI Divulgação)

A ANKAI tem estrutura própria na China com capacidade para fazer até 20.000 veículos por ano entre modelos urbanos, micro ônibus, escolares e rodoviários. 

Interior dos ônibus ANKAI já prontos para homologação (Vitor Lima)

O foco da ANKAI está na troca de veículos diesel por modelos elétricos a bateria, necessidade em boa parte das capitais brasileiras. Só em SP, a SPTrans precisa incorporar 2,4 mil ônibus elétricos à frota da capital pois segundo a lei 16.802 a cidade não pode mais adquirir ônibus diesel e até agora só 50 veículos elétricos foram entregues por aqui e há uns poucos trolebus com rede aérea funcionando.

“Trouxemos os primeiros modelos 100% elétricos da JAC Motors em 2019, e imediatamente assumimos a liderança nas vendas de caminhões 100% elétricos, que são vistos corriqueiramente nos grandes centros urbanos do Brasil. Temos exatos 87% de todas as vendas realizadas de 2020 a 2023. E é também apoiada nessa vocação urbana que resolvemos investir nos ônibus 100% elétricos da Ankai”, explica o presidente do Grupo SHC e da Ankai do Brasil, Sergio Habib.

Quatro modelos 

ANKAI é do grupo Jac e agora está representada pela SHC (Vitor Lima)

Os ônibus da ANKAI estarão disponíveis em quatro opções e terão motor elétrico de 252 a 333cv com autonomia de até 350km alimentados por baterias de íon-lítio da CATL com sistema de regeneração que são instaladas em locais isolados do compartimento de passageiros, sendo nas laterais ou no teto. 

Prefiro da capital Rucardo Nunes visita entrega dos 50 elétricos que rodam na cidade (Prefeitura de São Paulo)

Como forma de dar “grife” aos ônibus chineses, a ANKAI divulgou que os motores elétricos são Dana, a caixa de direção é fornecida pela Bosch, ar-condicionado é da Valeo e da Songz. Já o módulo ABS e sistema pneumático de suspensão é da Wabco.

versão mais curta, útil em vias coletoras até terminais seguindo modelo da SPTrans (Vitor Lima)

Versões de ônibus apresentados pela ANKAI 

OE-6 (Micro, 6 metros) – 190 kW (258 cv) de potência e 1.900 Nm (193,9 kgfm) de torque máximo. A bateria pode ser oferecida de 141 kWh a 210 kWh de capacidade máxima de carga.

OE-8 (Mini, 8 m) – 200 kW (272 cv) de potência e 2.500 Nm (255,1 kgfm) de torque máximo. A bateria pode ser oferecida de 210,6 kWh a 282 kWh de capacidade máxima de carga.

Interior da versão curta com 6m (Vitor Lima)

OE-10 (Midi, 10 m) – 245 kW (333 cv) de potência e 3.329 Nm (339,7 kgfm) de torque máximo. A bateria pode ser oferecida de 281,9 kWh a 338,4 kWh de capacidade máxima de carga.

OE-12 (Urbano, 12 m) – 245 kW (333 cv) de potência e 3.329 Nm (339,7 kgfm) de torque máximo. A bateria pode ser oferecida de 300,8 kWh a 422,9 kWh de capacidade máxima de carga.