AutoShow

Ford Fusion sai de linha: veja história do último sedã da marca nos EUA

14 anos de história e decadência nas vendas levam Ford a focar nos SUVs e Pickups. Por Marcos Camargo Jr

Em 2016 a Ford estreava um sedã moderno para combater produtos de apelo mais jovial como o Chevrolet Malibu. O Fusion tinha proposta de modernidade diante de modelos como o Crown Victoria, Five Hundred e Focus e cumpriu bem seu papel.

O fim do Fusion é “só” uma pá de cal para uma estratégia que responde ao que o consumidor espera: SUVS. Para se ter uma ideia do enxugamento do portfólio hoje a Ford oferece em sua terra natal nada menos do que nove crossovers (incluindo o EcoSport), três pickups e somente um automóvel: o Mustang.

O Fusion ainda aparece no catálogo da marca mas sua produção foi encerrada em Hermosillo, no México, para dar lugar à linha do novo Bronco, que já recebeu mais de 165 mil encomendas.

No caso do Fusion em 2015 ele foi responsável por 300 mil unidades fabricadas. Este número chegou a apenas 60 mil em 2019. Assim, nos Estados Unidos a Ford não oferece mais sedãs simplesmente porque o consumidor não quer mais comprar esse tipo de produto.

Fim de uma era de ouro

Desde o apogeu dos grandes sedãs nos anos 1950, a Ford sempre teve produtos tradicionais que lideraram o mercado ou rivalizaram com a GM como o Crown Victoria, Galaxie, Thinderbird, entre outros.

De forma global a Ford tem feito ajustes na sua estratégia mas essa história é muito antiga. Nos anos 1980 com o crescimento de sedãs de origem japonesa como o Civic e o Corolla, além do Camry e do Accord nos EUA, a marca lançou o Taurus que foi um sucesso.

Da mesma forma no segmento dos compactos a Ford introduziu modelos de menor porte como o Focus, Mondeo, Five Hundred, Countour entre outros como o Escort e o Fiesta de projetos europeus. Tempos depois os antiquados Crown Victoria e seus derivados também saíram de linha enquanto os crossovers só cresciam.

Por aqui a marca segue em busca de novos caminhos. A Ford Brasil acaba de lançar o Territory para competir no segmento dos crossovers médios e deve lançar em breve o Escape na versão híbrida.