AutoShow

Fim do Dodge Challenger é anunciado: veja a história desse clássico 

esportivo já foi finalizado na fábrica canadense da Stellantis

Simdicato confirma fim da produção (UAW DIVULGAÇÃO)

Ele já teve duas grandes fases e ainda era muito popular nos Estados Unidos. Na última semana do ano, a fábrica de Brampton, no Canadá, produziu o último Dodge Challenger. Agora sob a bandeira da Stellantis, a fabricante ira se dedicar a modelos elétricos e híbridos deixando para trás um lendário automóvel esportivo.

Challenger SRT demon: Despedida (Stellantis Divulgação)

As últimas unidades do Challenger eram da versão SRT demon com V8 6,2 litros com nada menos que 1.025cv. O Challenger vendeu 4,5 milhões de unidades desde 2008 e teve uma grande fase entre 1970 e 1974.

O sindicato anunciou o final do Challenger com várias fotos de funcionários ao lado dos últimos veículos produzidos. 

Acima do Charger 

Challenger: ícone de preço acessível (Chrysler Divulgação)

O Dodge Challenger, conhecido há vários anos apenas como Challenger, já teve outras fases de sucesso. Era um carro posicionado acima do Dodge Dart e Charger mas acessível para as famílias. 

Anúncio do Challenger 1970 (Chrysler Divulgação)

O Challenger foi lançado em 1970, vinha na mesma ideia de sucesso do Plymouth Barracuda (e compartilhava a mesma plataforma E-body), um muscle car do grupo Chrysler com preço acessível como de um Mustang ou Camaro. No entanto o Challenger era um passo à frente como um Mercury Cougar, Pontiac GTO ou Chevrolet Corvette e tinha motores maiores e mais potentes. 

Nome não era novidade 

Coronet Silver Challenger Chrysler Divulgação)

A primeira vez que o grupo Chrysler usou o nome Challenger foi em uma versão que durou pouco na linha do Coronet. Era o “Coronet Silver Challenger”, com acabamentos diferenciados sem ser uma versão de performance. 

Versão durou apenas um ano (Chrysler Divulgação)

Além do design inspirado nos carros esportivos, o Challenger tinha motores de alta potência. Vinha em três versões: R/T (Road/Track) com motor V8 de 335cv ou 375cv, com um carburador quadrijet, o Magnum 440 e o topo de linha 426 Hemi V8 de 425cv.

A Dodge ainda produzia a versão T/A (Trans Am), inspirada no campeonato Trans Am. Durou pouco pois em 1971 já eram apresentadas versões menos potentes mas ainda assim interessantes. 

filme Vanishing Point com Challenger 1970 (Twenty Century Fox divulgação)

Nesse ano os estúdios Fox lançaram o filme “Vanishing Point” (Corrida contra o destino no Brasil) onde o jovem motorista Kowalski (Barry Newman) cumpre o desafio de levar um Dodge Challenger do ano desde Denver, no Colorado até São Francisco, Califórnia, em uma viagem de quase dois dias em menos de 15 horas.

Challenger T/A 1970 (Chrysler Divulgação)

Cinco carros foram cedidos pela Chrysler aos estúdios Fox sendo quatro versões 440 Magnum e uma 383 usadas nas filmagens. Os carros eram originais e só tinham amortecedores reforçados para eventuais cenas de perseguição.

Challenger 1974 era a despedida (Chrysler Divulgação)

Os anos passaram e o Challenger chegou à crise de 1973 onde já tinha tido potência e versões reduzidas apagando o brilho do modelo de lançamento. Em 1974, seu último ano, chegou a ter uma série especial “Rallye” com V8 de apenas 150cv e depois se despediu.

Challenger 2019 (stellantis Divulgação)

O Challenger voltaria como conceito em 2006 chegando ao mercado na forte onda dos carros vintage como Chrysler PT Cruiser e New Beetle, bem como o Camaro pronto para voltar em 2008. Durou até 2023 com inúmeras versões de sucesso como a Hellcat de nada menos que 717cv. Agora em nova fase a Stellantis pode até trazer uma versão híbrida mas só confirmou até agora um esportivo elétrico já apresentado.