Imagem Jumbotron

Fiat Grand Siena com GNV de fábrica: boa compra?

Veterano usa projeto antigo mas custa pouco e tem baixo custo de rodagem: veja o teste. Por Marcos Camargo Jr (fotos: Guilherme Magna)

Ele já foi o sedã compacto mais equipado da linha e chegou a conviver com o extinto Linea mas hoje mesmo sob a sombra do Fiat Cronos, o Grand Siena segue oferecido no mercado brasileiro como “modelo de combate” no aquecido segmento de sedãs com preço mais acessível e motor antiquado bem como seu design. Mas isso pode não ser importante para boa parte dos seus compradores que querem um carro mais acessível e não fazem questão senha modelo atualizado com as novas tecnologias ou não querem pagar por isso. Mas vale a pena apostar no velho sedã?

Para melhorar ainda mais a experiência do público-alvo, a Fiat equipou o sedã com kit GNV de fábrica que sai por R$ 63 mil. Seus preços vão de R$ 51 a R$ 57 mil em duas versões com motor 1.0 Fire de 75cv ou 1.4 de 88cv, derivados do velho Uno. Não há sedã mais barato no país hoje. 

No visual o Grand Siena tem aparência já conhecida sem mudanças além da grade com detalhes novos na linha 2021. Fora isso, é o mesmo carro que estreou no país em 2012. Ou seja: se você busca design e soluções modernas ele pode não ser o carro certo para você. 

Na prática 

Barato, o sedã tem suas limitações de projeto. São 4,29m de comprimento e 2,51m de entre eixos e ótimo porta-malas (520 litros).

Foco da propaganda é a economia e o bom porta malas

No quesito conectividade o carro deixa a desejar, começando pela chave que não tem abertura e travamento a distância mas sistema convencional. Apesar do carro ser equipado com ar-condicionado, travas e vidros elétricos, a direção ainda é hidráulica. Contando com a versão GNV, o Grand Siena é comercializado em apenas três versões, 1.0, Attractive 1.4 e Attractive 1.4 GNV como o modelo das fotos.

Outro ponto que deixa a desejar no Grand Siena é a motorização. Na versão GNV, o carro é equipado com motor Fire 1.4 de 88cv e câmbio manual de cinco marchas. Ou seja, é o mesmo motor dos antigos Palio Fire. Importante citar que nesta versão GNV o carro aceita apenas gasolina. Nas demais ele é flex. 

Com GNV na prática 

Rodar com o Grand Siena é, claro, um deja vu, uma vez que ele tem visual conhecido e não será notado como novidade nas ruas. Como o carro tem opção de GNV os dois cilindros localizados no porta-malas do carro roubam boa parte do espaço, mas compensa pela economia. Somados os cilindros tem capacidade de 15m3 e quando zerados demoram um pouco menos de cinco minutos para o abastecimento. 

O kit instalado no Grand Siena trabalha com um módulo eletrônico que conversa com o sistema original do carro. O desempenho não muda ao usar gás natural uma vez que o kit é de quinta geração devidamente homologado pela Fiat e o desempenho do motor 1.4 já não é brilhante mas cumpre seu papel principalmente na cidade com economia. 

O motor é limitado naturalmente, rodando com gasolina o carro pede mais potência e a inclusão de mais uma marcha para seus parcos 88cv especialmente na estrada.

A conta na prática

Rodamos com o Grand Siena em trechos urbanos e rodoviários. Dentro da cidade nossa média com gasolina foi de 10,1km/l, já na estrada 12,9km/l. Isso perfaz um custo de R$ 0,40 por quilômetro na cidade e R$ 0,31 na estrada considerando o custo de R$ 4,10 por litro. Com GNV rodamos cerca de 200 quilômetros com os cilindros cheios ao custo de R$ 31. Isso perfaz um custo de R$ 0,15 por quilômetro, bem pouco em relação à gasolina, o que compensa para quem roda bastante. 

Com destaque para o espaço interno, o Grand Siena é a opção mais barata do mercado. Considerando seus concorrentes ele sai por menos que o Ford Ka Sedan S de R$ 53 mil e também o Chevrolet Joy Plus 1.0, com preços a partir de R$ 56.090 e ainda o Nissan V-Drive, que custa a partir de R$ 57.190 com motor 1.0. Mesmo equipado com motor 1.4, ele custa menos que os dois (R$ 55.790), se tornando uma boa opção para quem abre mão de tecnologia e prioriza espaço interno e relativa economia de combustível. Por R$ 63.050 ele tem o kit GNV, opção única no mercado de grande utilidade para quem roda muito e se encaixa nesse perfil de público mais conservador. Vale lembrar que, na prática, o carro é oferecido com mais descontos na concessionária. A versão mais barata sai por R$ 45 mil em algumas concessionárias de SP e o modelo mais completo sem GNV sai por R$ 51 mil mas lojas. 

Busca um sedã econômico para trabalhar? Venha visitar o Feirão AutoShow realizado todo domingo no Expo Center Norte e Shopping ABC das 7h às 13h.

Compartilhar:

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Mais lidos

Imagem Media

Carro novo ou usado? Qual escolher?

Imagem Media

Como transferir documento de veículos durante a pandemia?

Imagem Media

Prós e Contras: Renault Sandero 1.0 Life 2020

Compartilhar:

RSS
Facebook
Twitter
LinkedIn

Carros que você talvez gostaria:

Imagem Jumbotron

Garanta já sua participação no maior feirão de Compra e Venda de carros no Brasil – AutoShow –

O Feirão AutoShow possui mais de 10 mil ofertas e milhares de compradores em busca de fechar um bom negócio. Compre ou venda já seu carro no Feirão.