AutoShow

Clássico Freightliner Coronado deixa de ser produzido após 21 anos

Marca norteamericana produz caminhões no México desde 2010 mas já tem substituto para o Coronado: Western Star apresentado em agosto de 2022

Os fãs da marca Freightliner se despedem de um clássico: o Coronado deixou de ser produzido nesta semana no México após 21 anos de história. Ao todo, 22.694 unidades foram produzidas nesse período. 2015 e 2016 foram os melhores anos do Coronado que teve 3.331 e 3.209 unidades produzidas.

Os fãs de caminhões norte-americanos se despedem de um clássico. O último Coronado, referência em modelos de caminhão desse estilo saiu de linha no México. Ao todo foram 22.694 unidades produzidos sendo que 2015 foi o melhor ano de produção com 3.331 unidades.

Atualmente o Coronado usava motores Cummins X-15 ou Detroit DD16 com potência de até 515cv. Sua produção foi concentrada nos Estados Unidos entre 2001 e 2010 e depois passou a ser feita em Santiago Tianguistenco, no México, com foco no mercado norteamericano.

As linhas clássicas do Coronado fizeram dele um ícone no mercado. Com grades amplas e faróis destacados, muitos cromados e linhas inspiradas em modelos antigos, o caminhão era destinado ao uso em grandes distâncias, o que recebe o nome de “Classe 8” nos Estados Unidos.

O Coronado dará lugar ao Western Star 57X lançado em 2022 e que mantém o estilo clássico porém com linhas modernas e mais fluidas além de novas soluções mecânicas mais eficientes. O 57X é uma evolução de modelos já oferecidos na linha da Freightliner e tem motores Detroit DD13 Gen 5, DD15 Gen 5 e DD16 que são até 5,8% mais eficientes.

O 57X traz sistemas como Steer Assist, um assistente de manobras, o Active Side Guard Assist (ASGA), monitor de pontos cegos, conexão Apple CarPlay e Android Auto e controle de Cruzeiro adaptativo.

A Freightliner iniciou a produção dos primeiros caminhões em 1929 e desde 1941 se estabeleceu com o nome Freightliner Inc. Além de caminhões de grande porte produz vans, caminhões urbanos e outras soluções de veículos sobre chassi.

Nos anos 1950 a marca passou a apostar em novos conceitos que foram bem aceitos pelo público como os caminhões “cabine sobre chassi” e os modelos arredondados “bubble”, que fizeram sucesso e foram referência em design e durabilidade.

Nos anos 1970, as linhas angulosas dos caminhões também serviram de referência para várias marcas locais. Os caminhões de cabine ampla, equipados com cozinha e cama, surgiram nessa época e ajudaram a transportar produtos em grandes distâncias nos Estados Unidos. Em 1981 a Freightliner firmou parceria com a Daimler.

A partir dos anos 1990 algumas unidades passaram a ser exportadas. A partir dos anos 2000 mesmo com a entrada de marcas como MAN, Scania e Volvo, o público norteamericano continuou privilegiando as marcas locais como Peterbilt, International, Mack e a própria Freightliner, que continuaram crescendo nas vendas. Com a crise de 2008 algumas marcas terceirizaram a produção e a Freightliner passou a produzir os caminhões no México.