AutoShow

Citroën e-Jumpy: teste completo da versão elétrica (preços, carga máxima e 13 fotos)

Testamos na vida real a versão elétrica do furgão elétrico que roda 300km sem “reabastecer”. Por Redação AutoShow – colaboração de Henrique Pereira

Citroën Jumpy conta com porta de correr lateral (Henrique Pereira)

O Citroën Jumpy é um produto de sucesso na marca desde o lançamento em 2017. Importado do Uruguai nas versões diesel e da França na versão elétrica, o Jumpy é feito sobre a plataforma EMP2 oferecido em versões furgão (Cargo) envidraçada (Vitre) e há dois anos também está disponível na elétrica.

Capacidade de carga de 1.000kg (Henrique Pereira)

Mantendo quase todo o estilo do Jumpy diesel, a versão elétrica tem apenas diferenças de painel e, claro, de condução. Mede 5,30 metros de comprimento, 2,20 m de largura, 1,93 m de altura e 2,27 m de entre-eixos que permite a entrada em locais não tão altos como estacionamentos de lojas, prédios e áreas de carga e descarga. Tem bom desempenho, manobrabilidade, e um conjunto elétrico de boa performance e autonomia para rodar na cidade.

Citroën e-Jumpy elétrico é vendido apenas na versão Cargo (Henrique Pereira)

Um carro ideal para o uso urbano e tem como principal foco de compradores empresas de entregas de compras on-line, mas também pequenas transportadoras. A Jumpy é silenciosa e tem autonomia suficiente para um dia de trabalho na cidade rodando 300 km em média com uma carga completa de bateria.

Câmera de ré facilita manobras no e-Jumpy (Henrique Pereira)

O e-Jumpy é produzido na França como seus “Primos” o e-Expert, da Peugeot e o e-Scudo, da Fiat. Os três utilizam a mesma carroceria, e tem nível de acabamento similar.

Autonomia média de 300km

Foram 290km sem a necessidade de se reabastecer, utilizando os dois modos de condução “ECO” e “NORMAL” . O motor é o mesmo que equipa os Peugeot e-208 GT e e-2008, e instalado na Jumpy cumpre com seu objetivo os 136 cv e 26,4 kgfm de torque instantâneo, são mais do que suficientes para carregar uma carga de 1.000 Kg (especificada pelo fabricante). O conjunto elétrico tem, mais potência e menos torque do que o Jumpy 1.5 turbodiesel, que entrega 120 cv e 30,6 kgfm de torque máximo.

e-Jumpy deve ser recarregado na tomada ou carregadores do tipo wallbox (Citroën Divulgação)

Embora tenha essa pequena diferença de torque, a entrega no Jumpy a combustão só acontece a partir dos 1.750 rpm, ao passo que na versão elétrica todos os 26,4 kgfm estão disponíveis assim que o motorista pisa no acelerador. Sendo assim, quem procura desempenho encontra no Ë-Jumpy a melhor opção.

versão elétrica é produzida na França (Citroën Divulgação)

A autonomia declarada de até 330 km na cidade (ou 289 km, de acordo com o padrão Inmetro) com baterias de 77kwh o que pode ser reduzido drasticamente se o condutor pisar fundo no acelerador, principalmente no modo POWER. Ele terá nas mãos um veículo de passeio que responderá imediatamente as acelerações e alcançará velocidades mais altas em um menor tempo indo de 0 – 100 Km/h em 11,9 segundos, porem este tipo de condução comprometerá a autonomia final. São disponíveis três modos de condução: Eco, Normal e Power, o último deles prioriza o desempenho, enquanto o primeiro limita o desempenho e o funcionamento do ar-condicionado na tentativa de poupar a carga das baterias optamos por usar a van nos modos ECO e normal, pois não tínhamos a necessidade de maior performance, principalmente por utilizarmos 100 % em trânsito Urbano.

6m3 de capacidade é o volume de carga permitido no Jumpy ( Henrique Pereira)

A tração traseira as vezes pode comprometer a performance em subidas íngremes ou irregulares, mas nada que comprometa a dirigibilidade geral da Van.

Itens de série do Citroën e-Jumpy 2024

O Citroën e-Jumpy tem assistente de partida em rampas, freios com ABS, controle eletrônico de estabilidade e air bag duplo frontal, indicador de fadiga do motorista, luzes de uso diurno, limitador de velocidade e controlador automático de velocidade.
No console à direita do volante fica o controle de condução. Por meio de teclas, é possível selecionar a marcha à frente, ré e o freio de estacionamento. A tecla B-Mode aciona o sistema que transforma as forças de frenagem em eletricidade

Avaliação do e-Jumpy

Usamos o e-Jumpy ao longo de uma semana intensa de transportes e demandas pela cidade. Durante a semana de avaliação, de uma mudança completa onde acomodamos inúmeros produtos (Incluindo um colchão “queen size”), a pequenos circuitos com produtos de menor porte. O acesso ao compartimento pode ser feito por meio das portas traseiras, que se abrem a 180° desencaixando os suportes das dobradiças. Existe, ainda, a porta corrediça lateral do lado direito, que torna o embarque e desembarque bastante práticos. A área volumétrica da Jumpy é de 6,1 m3 e carrega até 1.000 kg.

Perfil lateral do Citroën e-Jumpy (Henrique Pereira)

Carregamos nela produtos isolados, como madeiras, cadeiras, poltronas e até bicicletas. O que nos chamou a atenção foi a facilidade de se poder ancorar os produtos no interior da área carga dado os diversos pontos para ganchos ou mesmo furos nas colunas onde facilmente se prendiam os tirantes de nylon. Observamos ainda a possibilidade de se carregar cargas sobre o teto, existem furações e reforços onde se pode instalar racks para carregar escadas e outros objetos se tornando também um carro prático para concessionárias e prestadores de serviços urbanos.

Citroën Jumpy furgão (Henrique Pereira)

O grande ponto positivo desta Van é a facilidade de entrar na maioria das garagens de lojas, supermercados e shoppings. Esta característica faz toda a diferença nas entregas e retiradas de mercadorias.

Ãngulo das portas facilitam a carga e descarga no e-Jumpy (Henrique Pereira)

A manobrabilidade da e-Jumpy surpreendeu e não encontramos dificuldades para entrar, sair ou mesmo manobrar a Van em vagas de garagem ou rua. Os seus 5,02 m de comprimento exigem as vezes vagas mais longas o que não é comum em alguns estacionamentos. A ampla área envidraçada da cabine e o bom campo de visão dos espelhos retrovisores laterais são suficientes no dia a dia e a câmera de ré para realizar manobras de estacionamento ajudam de sobremaneira. Uma sugestão que faríamos seria ter no retrovisor central (nas vans fechadas como a que avaliamos) a instalação de uma tela transmitindo constantemente as imagens da câmera de ré.

Citroën e-Jumpy elétrico (Marcos Camargo Jr)

Mesmo se tratando de uma Van a cabine acomoda três pessoas e tem ótimo isolamento acústico, por se tratar de um carro elétrico o silencio é excepcional, diminuindo o stress do motorista que pode vir a trabalhar com ela mais de 8 horas diárias. O Citroën Ë-Jumpy agrada pela dirigibilidade. A direção eletro-hidráulica é bastante leve e os bancos são confortáveis.
Desenhado para atender ao trabalhador que precisa transportar carga, o furgão elétrico cumpre bem o seu papel. Ele é espaçoso (por dentro e por fora), versátil, fácil de dirigir e relativamente ágil para suas dimensões. O preço do Citroën e-Jumpy é de R$ 330 mil.

fechar