AutoShow

Chevrolet Onix turbo 2024: pontos positivos e negativos 

Hatch anda bem, é bem equipado e tecnológico mas poderia ser melhor: veja os motivos. Por Marcos Camargo Jr

Onix turbo Premier 2024 (fotos deste artigo: Marcos Camargo Jr)

O Chevrolet Onix da atual geração estreou em 2019 mas chegou ao mercado efetivamente a partir de janeiro de 2020. Ele surfou na boa onda da geração anterior que estreou em 2012, conviveu com a nova geração a partir do fim de 2019 e foi produzido até 2021. A nova versão tem uma outra plataforma, versões aspiradas e turbinadas 1.0, com motores também diferentes agora três cilindros, desenho mais esportivo e foco em itens de série mais modernos.

Passados quatro anos e meio do seu lançamento o Onix não é mais o carro mais vendido do país mas ainda é um veículo de alto volume. Seu preço começa na faixa de R$ 86.150 na versão 1.0 MT aspirada e chega a R$ 117.480 na versão Premier avalliada nesta matéria exclusiva. O Chevrolet Onix ainda é uma boa compra? Vale a pena?

Design 

O Chevrolet Onix 202 já leva um bom tempo com o mesmo estilo que já remonta quase cinco anos mas está longe de parecer “velho”. Suas linhas curvas e esportivas, grade tradicional preta com elementos cromados e frisos combinando nas laterais do carro inspiraram o Tracker que veio em seguida e também a Montana.

A ficha técnica do Onix tem as seguintes medidas: 4,16m de comprimento, 1,73m de largura, 2,55m de entre-eixos, 1,47m de altura e 12,8cm de altura do solo. O porta-malas tem 275 litros e o tanque de combustível 44 litros. O peso é 1.113kg nesta versão com motor turbo.

Por dentro o estilo também é o mesmo com seu painel em duas cores mas ainda com o cluster analógico com um pequeno painel TFT de 3 polegadas.

A multimídia dessa versão é o MyLink de 8 polegadas com espelhamento sem fio para Apple CarPlay e Android Auto, rádio AM/FM e Bluetooth além de internet wi-fi para até 7 dispositivos e sistema de telemetria OnStar.

Prós e contras

Ponto positivo para o motor turbo 

O motor do Onix também não sofreu alterações na linha 2024 sendo o mesmo desde o final de 2019. Trata-se do 1.0 turbo Ecotec de três cilindros e 12V com 116cv e 16,3kgfm de torque com gasolina e 16,8kgfm de torque com etanol. Embora não seja um motor com injeção direta de combustível e adotando soluções de corte de custos como o “volante de dupla massa” para absorver vibrações sua aceleração de 0-100km/h é feita em 10,1s e a velocidade máxima é de 187km/h combinado com câmbio automático de seis marchas nesta versão.

Consumo Onix turbo 2024

Imagem: Chevrolet Divulgação

A versão atual do Onix tampouco mudou o consumo. Ele segue com consumo de 8,4km/l na cidade e 10,4km/l na estrada com etanol e com gasolina o consumo chega a 11,8km/l na cidade e 14,9km/l na estrada. Ao longo de um teste de 1000km com gasolina chegamos a uma média melhor de 16km/l enquanto com etanol em um segundo tanque a média ficou nos 11,7km/l.

Pontos negativos 

Suspensão “seca” e pouco refinada 

Entre os pontos positivos o desempenho sem dúvida é sua maior virtude. O Onix tem boa posição de dirgir com ajuste de altura e profundidade da coluna de direção, retrovisores no tamanho certo e boa amplitude de ajustes. O carro acelera rápido e não consome muito combustível. Mas também tem vários pontos negativos.

O primeiro é a respeito da injeção de combustível. A Chevrolet optou por um sistema indireto que é de menor manutenção mas não deixa o desempenho do carro excelente. Ao usar sistema de injeção direta o ganho de potência seria bem relevante.

A solução de usar correia de comando embebida em óleo na parte interna do motor traz longevidade para o conjunto mas requer trocas de óleo feitas com rigor sob o peso de perder o motor caso use a viscosidade ou especificação fora da originalidade.

Outro ponto a melhorar é a suspensão. O conjunto de suspensão tem curso reduzido e o carro poderia ser mais alto. Continua facilmente raspando em valetas e buracos e o defletor de ar emborrachado pode cair do para-choque com facilidade. 

Espaço e ergonomia a bordo

Embora o Onix tenha as dimensões “na medida” o entre-eixos é curto com apenas 2,55m. Para atenuar isso a Chevrolet deixou bancos muito curtos no assento o que torna as viagens cansativas para os mais altos devido à falta de apoio e o porta-malas não é dos maiores com 275 litros.

Outro ponto a ser considerado é seu preço. Hoje a versão topo de linha Premier com wifi a bordo, bancos em couro e itens de segurança ativa sai por salgados R$ 117,4 mil, um pouco mais alto que seus concorrentes e nivelado ao Polo TSI, Peugeot 208 e ao HB20 TGDI que são seus concorrentes turbinados e que vale a comparação atenta antes de se decidir pela compra.

Aproveite e venha visitar o AutoShow no próximo domingo. São dois eventos simultâneos aos domingos: um em São Paulo e outro no Shopping ABC sempre a partir das 7h. A entrada de visitantes é GRÁTIS.